Como Serra e o FHC venderam o Brasil - Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região
Home » Notícias » Como Serra e o FHC venderam o Brasil
Em 29/10/2010

Como Serra e o FHC venderam o Brasil

Como Serra e o FHC venderam o Brasil

O Sr. José Serra do PSDB, tocava o programa de privatização e era o responsável pela vendas das estatais brasileiras, quando foi ministro do planejamento do governo FHC.

Confira na matéria abaixo, da revista Veja de 03/05/1995, o que o Ministro Serra disse: “Estamos fazendo todo o possível para privatizar em alta velocidade”.

image


Assim, conforme mostra as fotos abaixo, Serra bateu o martelo em leilões de privatização. A cada batida de martelo, bilhões do patrimônio público nacional eram retirados da mão do povo brasileiro e entregues a investidores privados. Um crime de lesapátria.


image

Nesta foto, José Serra aparece batendo o martelo durante o leilão da companhia de eletricidade, a ESCELSA, em 1995.


image

 

Nesta foto, José Serra bate o martelo e vende a companhia de eletricidade LIGHT. (Revista Veja do dia 29/05/1996)



image

 

Nesta foto, José Serra comemora a venda da LIGHT.Data: Revista Veja do dia 03/05/1995

image


Na matéria acima, a revista narra o que disse FHC para Serra: “É preciso dizer sempre em todo lugar que esse governo não retarda privatização, não é contra NENHUMA PRIVATIZAÇÃO, e vai vender tudo o que der para vender”.Data: Revista Veja do dia 07/02/1996.


image

Na matéria acima, a revista mostra que o José Serra garante a privatização da Vale do Rio Doce: “A descoberta dessa mina não altera em nada o processo de privatização. Só o preço, que poderá ser maior.”

 

Olhe o vídeo em que o FHC afirma que o Serra foi o que mais lutou a favor da privatização da Vale:

 

 

 

OBS: Como sabemos, a Vale do Rio Doce foi vendida por $ 3,2 bilhões de Dólares. Esse valor corresponde ao lucro da empresa em apenas um semestre. Hoje, seu valor no mercado é de $ 196 bilhões de Dólares, ou seja, entregaram de graça um patrimônio público. Quem fez isso não pode ser a favor do Brasil.

Relação de empresas estatais brasileiras, privatizadas (entregues) pelo do governo neoliberal de FHC e José Serra, junto com governos estaduais da época, principalmente o do ex-governador Geraldo Alckmin:

- AES SUL (CEEE Distribuição) – vendida para a empresa
americana AES;
- BANDEIRANTE Energia – vendida para o grupo Português EDP;
- CELPE – vendida ao grupo espanhol Iberdrola;
- CEMAR – vendida ao grupo americano Ulem Mannagement
Company;
- CESP TIETE – vendida para a empresa americana DUKE;
- CETEEP – vendida para a empresa estatal Colombiana ISA;
- COELBA – vendida ao grupo espanhol Iberdrola;
- CONGÁS – vendida ao grupo britânico British Gas/Shell;
- COSERN – vendida ao grupo espanhol Iberdrola;
- CPFL – vendida para o grupo brasileiro VBC;
- ELEKTRO – vendida para a empresa americana ENRON;
- ELETROPAULO – vendida para a empresa americana AES;
- ESCELSA – vendida ao grupo português GTD Participações,
juntamente com o consorcio de Bancos Iven S.A.
- GERASUL – vendida para empresa Belga Tractebel;
- LIGHT- vendida ao grupo francês e americano EDF/AES;
- RGE – vendida para o grupo brasileiro VBC;
- BAMERINDUS – vendido ao grupo britânico HSBC;
- BANCO BANESPA – vendido ao grupo espanhol Santander;
- BANCO MERIDIONAL – vendido para o Banco Bozano;
- BANCO REAL – vendido ao grupo ABN-AMRO, hoje sob o controle
do grupo Santander;
- BEA (Banco do Amazonas S.A.) – vendido ao Bradesco;
- BEG (Banco de Goiás) – vendido ao Itaú;
- CARAIBA – Mineração Caraíba Ltda
- CIA. VALE do RIO DOCE;
- PQU (Petroquímica União S.A);
- Empresas de Telecomunicação do grupo TELEBRAS:
EMBRATEL, TELESP, TELEMIG, TELERG, TELEPAR,
TELEGOIÁS, TELEMS, TELEMAT, TELEST, TELEBAHIA,
TELERGIPE, TELECEARÁ, TELEPARÁ, TELPA, TELPE, TELERN,
TELMA, TELERON, TELEAMAPÁ TELAMAZON, TELEPISA,
TELEACRE, TELAIMA, TELEBRASÍLIA, TELASA. A maioria vendida a grupos internacionais: espanhol, italiano, mexicano e, algumas a um grupo brasileiro.

O que foi exposto ilustra claramente qual é a política econômica a ser adotada, caso José Serra seja presidente. Uma política de venda do patrimônio público, sem nenhum pudor.

Se Serra for o próximo presidente poderá bater o martelo para vender o que restou de nossas empresas: Petrobras, BNDES, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Furnas, Chesf, Eletronorte, Eletrosul, dentre outras. Ele só precisa de mais quatro anos de governo para concluir o serviço que começou com o governo FHC.

José Serra é o candidato da aliança partidária: PSDB, DEM e PPS. As privatizações comprovam que eles são os entreguistas do Brasil.


Desenvolvido por Porttal Webdesign

Topo