Tarifas bancárias abusam da sociedade - Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região
  • »
Home » Notícias » Tarifas bancárias abusam da sociedade
Em 25/09/2013

Tarifas bancárias abusam da sociedade

Tarifas bancárias abusam da sociedade No sexto dia de paralisação da categoria bancária no Brasil, o deputado Álvaro Gomes (PCdoB) responsabilizou as organizações financeiras pelo movimento paredista. Em discurso do plenário, proferido na tarde desta terça-feira (24/09), o parlamentar ressaltou que a greve somente foi deflagrada depois de esgotadas todas as vias de negociação da parte laboral.
 

Ele acusou a direção dos bancos de, durante o processo negocial, negligenciar reivindicações mínimas e básicas dos trabalhadores. Com data-base em 1º de setembro, a categoria pede um reajuste salarial de 11,93%, piso de R$ 2.860,00 e participação nos lucros. Os bancos oferecem um índice 6,1% de reajuste.
 
Para o deputado, se trata de abuso e de exploração da sociedade os valores das tarifas cobradas pelas instituições aos correntistas, e classificou de inaceitável a cobrança dos serviços no autoatendimento via internet. O deputado observou que as tarifas bancárias são tão elevadas que pagam com sobra toda a folha de pessoal das empresas.
 
Álvaro Gomes reiterou os elevados lucros alcançados pelas organizações financeiras no Brasil, lembrando o verificado pelo banco Itaú, que obteve apenas no 1º semestre de 2013 expressivos R$ 7 bilhões.
 
A grande adesão dos bancários ao movimento grevista também foi destacada pelo parlamentar, o que, para ele, revela o alto grau de insatisfação dos trabalhadores. No primeiro dia de greve, 7.282 agências não foram abertas ao público no país. Hoje 9 mil unidades não funcionaram. Na Bahia, 776 agências ficaram fechadas nesta terça-feira.

Desenvolvido por Porttal Webdesign

Topo