Centenas de milhares de contas da Caixa são bloqueadas por possível fraude - Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região
  • »
Home » Notícias » Centenas de milhares de contas da Caixa são bloqueadas por possível fraude
Em 22/07/2020

Centenas de milhares de contas da Caixa são bloqueadas por possível fraude

Presidente do banco, Pedro Guimarães, disse que hackers acessaram milhares e contas, mas ‘pessoas honestas’ também sofreram suspensão

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, informou o bloqueio de contas de “centenas de milhares” de pessoas por identificação de fraudes no auxílio emergencial de 600 reais. A declaração ocorreu em entrevista ao site InfoMoney. Segundo o veículo, o banco bloqueou 5% das contas de pessoas que foram aprovadas.

Guimarães disse que a Caixa detectou a ação de hackers nas contas, porém, “pessoas honestas” também sofreram bloqueio. Para desbloquear o acesso, será preciso comparecer a uma agência bancária da instituição e apresentar identificação.

“Com a implementação rápida que tivemos que fazer para distribuir o auxílio lá no começo, sobraram algumas brechas de segurança. Em maio, em uma janela de dez dias, hackers acessaram milhares de contas. Identificamos todas e já corrigimos os problemas, mas pessoas honestas tiveram suas contas bloqueadas porque tivemos que salvar o dinheiro público”, afirmou o presidente da Caixa ao site.

Segundo ele, o desbloqueio pode ocorrer por meio do aplicativo do banco dedicado ao auxílio, mas pode haver lentidão.

“Para ter acesso à conta basta ir a uma agência com um documento em mãos e comprovar que a pessoa inscrita para receber o auxílio é realmente você e o dinheiro será liberado”, declarou. ““Nosso sistema demora cerca de três minutos nesse processo de liberação, mas temos centenas de pessoas na fila. Pode demorar alguns dias, mas os trabalhadores receberão os valores.”

CartaCapital questionou a Caixa sobre a quantidade exata de contas suspensas, mas a empresa se limitou a declarar que houve “baixo percentual de fraudes”, afirmou que “informações sobre eventos criminosos são repassadas exclusivamente às autoridades policiais” e ressaltou que “presta irrestrita colaboração nas investigações”.

Fonte: Carta Capital


Desenvolvido por Porttal Webdesign

Topo