Audiência Pública denuncia má gestão das verbas da saúde em Itabuna - Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região
Home » Notícias » Audiência Pública denuncia má gestão das verbas da saúde em Itabuna
Em 13/09/2019

Audiência Pública denuncia má gestão das verbas da saúde em Itabuna

Audiência Pública denuncia má gestão das verbas da saúde em Itabuna

O Conselho Municipal de Saúde apresentou na manhã de ontem (12), na Câmara de Vereadores, um relatório que faz um diagnóstico da saúde da cidade. Paulo Eduardo Silva, representante do Conselho e vice-presidente do Sindicato, enfatizou os problemas enfrentados pela entidade na atual gestão do município desde 2017. Além disso, Paulinho ressaltou o direito do cidadão à saúde garantido por lei.

 “É importante ressaltar logo de início, que a saúde é um direito do cidadão e dever do Estado. Esta reafirmação da saúde como direito dever ser lembrado para que as medidas sejam tomadas e mediante aquilo que tange a Constituição Federal, em seu Artigo 196”, declarou.

 Itabuna é uma macrorregião que presta serviço a 21 municípios vizinhos nas mais diversas áreas, desde simples atendimento ambulatorial, até os serviços de média e alta complexidade.

 Entretanto, segundo denúncias de usuários e pesquisa do Conselho, a saúde de Itabuna está um caos. Suely Dias, ex-bancária do BB, que faz parte do Conselho e trabalha diretamente com os pacientes da oncologia, deu um depoimento triste no evento.

 “A cidade de Itabuna sempre foi polo na assistência aos doentes, contudo, vivemos uma situação em que os pacientes vêm de longe rotineiramente para seus tratamentos e não encontram a medicação necessária. Com isso, gera três pontos lamentáveis: primeiro o agravamento da doença; segundo a antecipação do óbito e, por último, o descrédito que o tratamento irá funcionar. Quem precisa de tratamento contínuo não pode esperar. Doença não espera”, declarou.

O vereador, Jairo Araújo, lembrou que as verbas para a saúde existem, contudo, há uma má gestão dos recursos ocasionando a falta de estruturas nos hospitais e postos de atendimento, atrasos dos salários dos servidores e sua saída da cidade por falta de pagamento (recentemente um renomado oncologista está saindo da cidade por estar com 4 meses de salários atrasados), dentre outros problemas.

O Conselho pediu aos vereadores presentes que tomassem iniciativa para reverter a situação, pois, caso isso não aconteça, Itabuna pode perder novamente a gestão plena das verbas da saúde, como ocorreu em 2008.

Por Bruno de Azevedo - Jornalista


Desenvolvido por Porttal Webdesign

Topo