A educação em marcha ré: Uma censura ao conhecimento - Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região
Home » Notícias » A educação em marcha ré: Uma censura ao conhecimento
Em 10/01/2019

A educação em marcha ré: Uma censura ao conhecimento

A educação em marcha ré: Uma censura ao conhecimento O governo Bolsonaro quer acabar com o direito de professores e estudantes tratarem em sala de aula sobre violência, discriminação, preconceito, gênero, sexualidade, diversidade religiosa. A partir de 2020, os livros didáticos destinados aos alunos do 6º ao 9º ano (antigo ensino fundamental) não poderão mais ter referência à violência contra a mulher, promoção da cultura quilombola, indígena e dos ouros povos tradicionais. Também proibiu que trate sobre vida familiar e social, educação para o consumo, educação financeira e fiscal, ciência e tecnologia. Além disso, as ilustrações não podem mais retratar "a diversidade étnica da população brasileira, a pluralidade social e cultural do país". Em contrapartida, está liberada a publicidade de produtos e empresas. Um retrocesso em precedentes para a educação brasileira. O edital com as novas regras para os livros didáticos está de acordo com as demandas do Escola Sem Partido, que tem forte conotação fundamentalista. O documento deixa claro que o governo está única e exclusivamente a serviço das elites ultraconservadoras.

Desenvolvido por Porttal Webdesign

Topo