SBT resgata campanha da ditadura militar: "Brasil, ame-o ou deixe-o" - Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região
Home » Notícias » SBT resgata campanha da ditadura militar: "Brasil, ame-o ou deixe-o"
Em 07/11/2018

SBT resgata campanha da ditadura militar: "Brasil, ame-o ou deixe-o"

O Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), canal de Silvio Santos, começou exibir nesta terça-feira (6),  propaganda da própria emissora com alusão à comunicação dos governos militares no Brasil. Temas, músicas e slogans usados na época da ditudura militar, como "Brasil, ame-o ou deixe-o", a música "Eu Te Amo, Meu Brasil", o próprio Hino Nacional e as cores da bandeira estão sendo exibidos no intervalo comercial.

Manuela afirma que propaganda do SBT enaltece a ditadura.Manuela afirma que propaganda do SBT enaltece a ditadura.
Em claro tom de bajulação ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) que apoia esse período sombrio da história brasileira, a campanha gerou desconforto e polêmica nas redes sociais. 

Indignada, a candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad, Manuela d'Ávila que é militante do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e na época da ditadura teve vários correligionários  brutalmente assassinados e torturados pelos militares, criticou os anúncios. Para ela, a emissora "enaltece a ditadura".

'Eu te amo, meu Brasil, eu te amo, meu coração é' e 'Brasil: ame-o ou deixe-o' são propagandas da ditadura militar. Nós amamos o Brasil. O de todas as cores, credos e opiniões políticas. Enaltecer a ditadura não é amar ao Brasil, mas repugnar a democracia e as conquistas da Constituição de 1988. "Brasil, ame-o ou deixe-o" não é sobre amor e patriotismo. É sobre a violência do exílio e do desterro. Tirem o cavalinho da chuva: VAMOS FICAR, lutar e defender a democracia. Por amor ao Brasil 🇧🇷❤", postou. Para Manuela, a propaganda é "absurda!". 

O presidente nacional do Psol, Juliano Medeiros, afirmou que lutará para que o Brasil seja a casa de todos os brasileiros. 
 

A página Quebrando o Tabu referiu-se à frase utilizada pela emissora explicando seu verdadeiro significado. "A propganda nunca foi sobre amar o Brasil, o sentido real da frase era mais ou menos: aceite cegamente tudo que estamos fazendo no país, ou seja expulso".

Filho de Rubens Paiva, o deputado federal que foi cassado, exilado, preso e morto pela ditadura, Marcelo Rubens Paiva, também recordou que os presidentes militares tinham voz no SBT em programa exclusivo. "É bom lembrar que Silvio Santos ganhou a concessão do general Figueiredo depois de puxar-lhe o saco e criar o quadro chamado O Dia do Presidente, desbancando as favoritas Abril e JB", afirmou.

O jornalista Kiko Nogueira comentou que o interesse da emissora pode ser também financeiro. "De olho nas verbas publicitárias do governo Bolsonaro, Silvio Santos exuma slogans da ditadura", publicou.


Do Portal Vermelho, Eliz Brandão 


Desenvolvido por Porttal Webdesign

Topo