"O acordo da Embraer com a Boeing é péssimo para o país", diz Manuela - Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região
Home » Notícias » "O acordo da Embraer com a Boeing é péssimo para o país", diz Manuela
Em 06/07/2018

"O acordo da Embraer com a Boeing é péssimo para o país", diz Manuela

Aplicando a agenda de desmonte do Estado, como parte do golpe de 2016, o governo ilegítimo de Michel Temer liberou a venda da Embraer, maior empresa nacional de tecnologia, à Boeing. Apesar de ser acionista com poder de impedir a venda, por ser detentor da ação Golden Share (com poder de veto), o governo brasileiro não impediu a transação e entregou o controle da empresa para a norte-americana Boeing, que terá 80% da companhia.

Foto: Vitor Vogel
  
“O acordo da Embraer com a Boeing, que separa a aviação civil da militar de forma drástica, é péssimo para o país”, comentou a pré-candidata à Presidência da República pelo PCdoB, Manuela D’Ávila, por meio de sua página nas redes sociais.

“Nenhuma nação importante do mundo permite que seus interesses estratégicos, as garantias de sua soberania, sejam subordinados a interesses comerciais de meia dúzia de acionistas. O Brasil precisa proteger sua autonomia, suas riquezas e seu povo em um mundo que é cada vez mais perigoso”, acrescentou Manuela.

A preocupação de Manuela é porque, segundo documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a fabricante brasileira confirma que as divisões de defesa, segurança e jatos executivos, dentre outras, “não serão segregadas para nova sociedade”. Ou seja, setores estratégicos relacionados à soberania do país ficarão nas mãos da norte-americana. 

A Embraer é a terceira maior exportadora do Brasil, atrás apenas da Vale e Petrobras. A empresa tem grande peso na balança comercial brasileira, sendo o único setor de tecnologia intensa que possui superavit comercial. 

Com a transação, a totalidade das operações de aviação comercial da Embraer, avaliada em US$ 4,75 bilhões, passará para a Boeing, que desembolsou US$ 3,8 bilhões pelos 80% da companhia.

Demissões

Sindicalistas do setor alertam para a ameaça de demissões. Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Herbert Claros, os trabalhadores estão apreensivos com a venda da empresa. Na região do Vale do Paraíba são quatro mil empregos indiretos ligados à Embraer, somados a 18 mil trabalhadores da empresa.

“Há a possibilidade de demissões, abertura de programa de demissão voluntária (PDV), então há uma angústia dos trabalhadores. Não existe conversa entre Embraer e trabalhadores. Já enviamos várias cartas e a empresa não nos respondeu”, afirmou o sindicalista.



Do Portal Vermelho


Desenvolvido por Porttal Webdesign

Topo