Bancos têm lucros astronômicos no Brasil - Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região
Home » Notícias » Bancos têm lucros astronômicos no Brasil
Em 11/06/2018

Bancos têm lucros astronômicos no Brasil

Bancos têm lucros astronômicos no Brasil

Os banqueiros brasileiros vivem na fartura e nenhuma crise econômica os alcança. A lucratividade de R$ 77,4 bilhões em 2017 comprova que os cinco maiores bancos no país – Itau, Bradesco, Banco do Brasil, Santander e Caixa - não têm do que reclamar. Fica claro explicar como as empresas lucram tanto. 

O Brasil é o campeão em spread bancário. A diferença entre o que as empresas no país cobram aos consumidores em empréstimos e o que gastam para captar recursos é de 38,4%. No Quirquistão, por exemplo, o spread é de 17,1% e, na Bolívia, 5,6%.

Os bancos no Brasil estão entre os maiores no mundo em rentabilidade sobre o patrimônio líquido. O Itaú está em primeiro lugar com 18%, o que representa US$ 437,802 em ativos total. Na quinta posição aparece o Bradesco, que possui 14,62% (US$ 359,447). O BB, com 11,37% (US$ 436,979), está em nono lugar. Já o Santander Brasil ficou em décimo primeiro. Apresentou US$ 197,404 em ativos total e 11,8% de rentabilidade.

Apesar dos lucros exorbitantes, as organizações financeiras não deixam de ameaçar os bancários. De 2016 para 2017, o Bradesco fechou 9.985 postos de trabalho. Passou de 108.793 para 98.808. Na Caixa, a redução no período foi de 7.324. Em 2016 eram 94.978 empregados e passou a 87.654, no ano passado. No BB, onde o governo segue com a política de desmonte, foram registrados 1.461 funcionários a menos no período (eram 100.622 e caiu para 99.161).

Não é novidade que os clientes são penalizados com a ganância dos bancos. Os usuários pagam uma conta alta com serviços e tarifas bancárias, que, sozinhas e com folga, pagam a folha de pagamento dos funcionários.

Em 2017, o Bradesco, Itaú, Caixa, Banco do Brasil e Santander somaram R$ 126,4 bilhões em receitas com prestação de serviços e tarifas. Já a cobertura das despesas com o pessoal no período foi de 114,4% no Bradesco, 160,2% no Itaú, na Caixa foi de 104,90%, no BB 117,92% e 171,71% no Santander.(SBBA)


Desenvolvido por Porttal Webdesign

Topo