Paralisação: Bancários do Itaú rejeitam implantação da reforma trabalhista - Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região
Home » Notícias » Paralisação: Bancários do Itaú rejeitam implantação da reforma trabalhista
Em 01/02/2018

Paralisação: Bancários do Itaú rejeitam implantação da reforma trabalhista

Paralisação: Bancários do Itaú rejeitam implantação da reforma trabalhista

O Comando Nacional dos Bancários, reunido em Porto Alegre na quinta-feira (25/1) definiu que as federações e sindicatos filiados realizem atos nas agências e departamentos do Itaú no dia 1º de fevereiro, em protesto pelo início da implantação da reforma trabalhista pelo banco. O Itaú, através de seu diretor de RH e Relações Sindicais, Sergio Farjeman, informou que as homologações não serão mais feitas nos sindicatos.

“Toda a categoria tem que se mobilizar, não apenas os bancários do Itaú. Com base na famigerada reforma trabalhista, o Santander já havia anunciado medidas prejudiciais aos trabalhadores. Agora, foi a vez do Itaú. Se toda a categoria não se mobilizar agora, logo todos os bancos retirarão nossos direitos. Temos de nos unir para nos defender uns aos outros”, disse Roberto von der Osten, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e um dos coordenadores do Comando Nacional.

Para o Jair Alves, coordenador da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, a decisão unilateral tomada pelo banco não faz sentido. “Nos reunimos constantemente com o banco em mesa de negociações. Esse importante canal de diálogo é muito valorizado pela categoria e, acreditamos, também pelo banco. Não há porque não mantermos esse canal, ainda mais agora com a aquisição do Citibank e a tensão criada pela nova lei trabalhista. Vamos procurar negociar com o banco, mas estamos mobilizados para lutar por nossos direitos”, disse.

 


Desenvolvido por Porttal Webdesign

Topo