ITABUNA: SEM VERBAS DO SUS, CEMEPI PODERÁ FECHAR AS PORTAS - Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região
Home » Notícias » ITABUNA: SEM VERBAS DO SUS, CEMEPI PODERÁ FECHAR AS PORTAS
Em 08/07/2011

ITABUNA: SEM VERBAS DO SUS, CEMEPI PODERÁ FECHAR AS PORTAS

ITABUNA: SEM VERBAS DO SUS, CEMEPI PODERÁ FECHAR AS PORTAS

O Centro Médico Pediátrico de Itabuna – Cemepi está com seus dias contados e poderá fechar as portas a qualquer momento, pois além de não ter condições de realizar o pagamento aos funcionários, referente ao mês de junho, a unidade de saúde está passando por dificuldades há quatro meses, em manter a logística de funcionamento.

A denúncia foi feita pela pediatra Thayane Mara Reis, após uma reunião realizada na última terça-feira (5), entre funcionários e diretores do hospital.

O Cemepi é uma instituição privada, que atende 98 % dos pacientes conveniados ao Sistema Único de Saúde – SUS, porém, o repasse do Estado/Sesab não atende aos interesses do hospital, como pagamento de funcionários, além de gastos com luz, água, lavagem de roupa, internamento, instrumentos hospitalares, comida, entre outros. São cinco mil consultas ao mês, sendo que o Estado repassa a quantia de R$ 11,00 por cada consulta.

Por conta disso, em uma reunião os diretores informaram aos funcionários que o Cemepi não tem dinheiro para pagar o mês de junho. De acordo com a pediatra Thayane Mara, a diretora médica e do hospital, Lícia Mastique já tinha extraído verba de onde tinha e de onde não podia de empréstimo para estar pagando os funcionários, mas esse mês não teve como mais fazer isso.

INDIGNAÇÃO

“É muito difícil a gente ouvir em uma reunião que o Cemepi vai fechar as portas por falta de pagamento, por que um dia eu fui atendida pelo Cemepi, estava do outro lado, era paciente SUS, não vim de família rica. E, hoje estou do lado oposto, atendendo a população carente e eu não posso fazer nada”, declarou a pediatra.

De acordo com ela, antes da perda da Gestão Plena da Saúde, o repasse do SUS era suficiente para sanar as despesas do hospital, porém, atualmente não está tendo condições de se manter. Há quatro meses está sendo feita a solicitação de uma ajuda, com o envio de ofício ao Governo do Estado, mas não vem obtendo nenhum resultado.


Desenvolvido por Porttal Webdesign

Topo