Encontro das Bancárias discute assédio contra as mulheres e mídia - Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região
  • »
Home » Notícias » Encontro das Bancárias discute assédio contra as mulheres e mídia
Em 22/05/2017

Encontro das Bancárias discute assédio contra as mulheres e mídia

Encontro das Bancárias discute assédio contra as mulheres e mídia Neste sábado (20), no período da tarde, o Encontro das Bancárias da Bahia e Sergipe debateu assédio e violência contra as mulheres, o papel da mídia na questão do machismo na sociedade e a política de gênero da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil).


A representante da Secretaria Estadual de Promoção para as Mulheres (SPM), Michele Fraga, fez uma exposição sobre a Campanha “Respeita as Minas”, que denuncia o assédio contra as mulheres nas ruas. A campanha iniciou neste ano no carnaval de Salvador, ocasionando uma diminuição da violência e do assédio contra as mulheres na festa. Para Michele, “precisamos falar de gênero no trabalho, na sociedade civil e na política e combater o machismo no ambiente de trabalho”. Em sua avaliação, os vários tipos de violência (emocional, moral, física) que as mulheres sofrem estão em casa, no trabalho e nas ruas. “Somos responsáveis pelo combate ao machismo no dia a dia”, declarou.

A jornalista Renata Miele, coordenadora do Fórum Nacional de Democratização da Comunicação (FNDC), analisou o papel da mídia na forma como a mulher é tratada na sociedade. Para ela, os meios de comunicação reproduzem estereótipos, relações de poder e o machismo contra as mulheres. “Somos audiência dos grandes meios de comunicação e reproduzimos em nossos lares sua influência”, avaliou.

Sobre a política da CTB para as mulheres, a presidente do Sindicato dos Bancários de Sergipe e secretária da Mulher Trabalhadora da CTB, Ivânia Pereira, lembrou que desde a sua criação, há 10 anos, a central valoriza e reconhece a importância da mulher na sociedade e na luta dos trabalhadores e trabalhadoras.

Nos últimos anos, a CTB promoveu alguns eventos para debater a igualdade de gênero e publicou estudos sobre o novo feminismo que se afirma nas favelas, através da parceria com a União Brasileira das Mulheres (UBM). Além disso, realizou curso de formação dirigido às dirigentes sindicais. Ivânia afirmou que a central defende a luta pela igualdade das mulheres com a participação dos homens. “Cabe nós, homens e mulheres, construirmos a igualdade de gênero no ambiente de trabalho”, finalizou. (Feeb Ba/Se)

Desenvolvido por Porttal Webdesign

Topo