Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região - artigo_id:4571
Em 23/09/2014

Eleições 2014 - Voto com Consciência de Classe

Eleições 2014 - Voto com Consciência de Classe A consciência de classe é o maior atributo que pode um trabalhador dispor. Durante do debate eleitoral o posicionamento político de cada candidato e partido através da exposição dos programas e projetos vai demonstrando a natureza de classe de cada um. Vivemos em um mundo unipolar, onde a supremacia do capitalismo é explicita. Desde 2008, vivemos uma grave crise econômica cujo epicentro é os Estados Unidos e os seus efeitos abalaram todo o mundo, principalmente seus principais aliados, a União Européia. O remédio apresentado: o neoliberalismo. O Brasil desde a eleição do presidente Lula, tem buscado um projeto alternativo de desenvolvimento, mesmo com os entraves herdados da era FHC, o chamado Tripé Maldito da Economia Brasileira: juros altos, câmbio valorizado e superávit primário. Os últimos três governos priorizam o fortalecimento do mercado interno, novos parceiros econômicos internacionais e a inclusão social. Um dos pilares desse projeto é o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), além de medidas que visam fortalecer a intervenção do estado na economia com uma efetiva ação dos bancos públicos e da Petrobrás. Além disso, o governo criou, manteve e ampliou diversos programas sociais como: Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Brasil sem Miséria, Pronatec, Ciência sem Fronteiras, Luz para Todos, Mais Médicos, Jovem Aprendiz, Prouni, Sisutec, Fies, Pronaf, etc. Sem falar na criação de 18 universidades federais e 422 escolas técnicas. Convivemos hoje com um salário mínimo superior a 300 dólares (era de 86 em 2002, último ano do governo FHC), e uma taxa de desemprego inferior a 5%, só este ano foram gerados mais de 5 milhões de empregos formais, enquanto segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, mais de 100 milhões estão desempregadas nos países do G20 (Vinte maiores economias do mundo). Enquanto a receita básica do neoliberalismo é o arrocho, o Brasil enfrenta a crise gerando emprego, valorizando salários e sem aumento de tributos, muito pelo contrário, desonerando a folha e reduzindo impostos da cesta básica. Outro ponto que merece destaque é a ampliação da bancada dos trabalhadores no Congresso Nacional. Devemos apoiar e votar em candidatos comprometidos com as lutas sociais. Além disso, elegermos governadores vinculados ao projeto de desenvolvimento nacional. Por fim, está mais do que claro o compromisso de classe do atual governo e da candidata Dilma. Os trabalhadores, os pobres, os despossuídos estão incluídos no seu programa. Portanto, este projeto precisa seguir em frente. Contudo, depende do nosso voto. Avante Brasil! Por Brasa Brasilis

Desenvolvido por Porttal Webdesign

Topo